sábado, 18 de agosto de 2012






Eu, aceito estar vulnerável para o amor, para a entrega ao desconhecido, para o mergulho no pré-sentimento bom. Mas não admito que o Outro tenha poder para me ferir, pois conheço minha Força... E, no meu cotidiano, toda a minha ocupação está na minha vontade de ser melhor, estar feliz e poder estender a mão quando tiver algo a oferecer... :)


Marla de Queiroz







domingo, 13 de maio de 2012

domingo, 17 de julho de 2011

Galdino

 Ando meio aperriado
com esse verbo travado
preso na minha garganta.


(Galdino)

domingo, 26 de junho de 2011

...

Se tens um coração de ferro, bom proveito.
O meu , fizeram-no de carne, e sangra todo dia.



José saramago

domingo, 29 de maio de 2011

Tô repetindo: que bom que sou capaz, que bom que sou forte,
que bom que suporto.Colei aquele "Eu Amo Você" no espelho.
È pra mim mesma.

Caio F.

...

Não deixe de acreditar no amor, mas certifique-se de estar entregando seu coração para alguém que dê valor aos mesmos sentimentos que você dá, manifeste suas idéias e planos, para saber se vocês combinam, e certifique-se de que quando estão juntos aquele abraço vale mais que qualquer palavra…

Luís Fernando Veríssimo

quinta-feira, 7 de abril de 2011

...

Então, que seja doce.Repito todas as manhãs, ao abrir as janelas para deixar entrar o sol ou o cinza dos dias,bem assim, que seja doce.
 
Caio F.Abreu

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

“Mas você não vê. Não vê, não enxerga, não sente. Não sente porque não me faz sentir, não enxerga porque não quer. A mulher louca que sempre fui por você, e que mesmo tão cheia de defeitos sempre foi sua. Sempre fui só sua. Sempre quis ser só sua. Sempre te quis só meu. E você, cego de orgulho bobo, surdo de estupidez, nunca notou. Nunca notou que mulheres como eu não são fáceis de se ter; são como flores difíceis de cultivar. Flores que você precisa sempre cuidar, mas que homens que gostam de praticidade não conseguem. Homens que gostam das coisas simples. Eu não sou simples, nunca fui. Mas sempre quis ser sua. Você, meu homem, é que não soube cuidar. E nessa de cuidar, vou cuidar de mim. De mim, do meu coração e dessa minha mania de amar demais, de querer demais, de esperar demais. Dessa minha mania tão boba de amar errado. Seja feliz.”

Caio F Abreu

Belissimo

“Sabe, eu me perguntava até que ponto você era aquilo que eu via em você ou apenas aquilo que eu queria ver em você, eu queria saber até que ponto você não era apenas uma projeção daquilo que eu sentia, e se era assim, até quando eu conseguiria ver em você todas as coisas que me fascinavam e que no fundo, sempre no fundo, talvez nem fossem suas, mas minhas, e pensava que amar era só conseguir ver, e desamar era não mais conseguir ver, entende? dolorido-dolorido, estou repetindo devagar para que você possa compreender melhor”

Caio F Abreu